domingo , 22 setembro 2019
Home / Destaque / Vigilância Sanitária alerta sobre riscos ao consumir leite “cru”

Vigilância Sanitária alerta sobre riscos ao consumir leite “cru”

A Secretaria de Saúde, através da Vigilância Sanitária, alerta a população de Mandaguari sobre os riscos à saúde pelo consumo de leite cru, que pode causar doenças como tuberculose, brucelose, salmonelose e infecções. No Brasil, a venda de leite cru de forma clandestina é proibida em todo o território nacional, pelo Decreto nº 923/1969.

Para garantir o cumprimento da legislação e a o bem estar das pessoas, agentes de vigilância estão intensificando as ações no município. “Ingerir o leite cru traz sérios riscos para a saúde podendo inclusive levar ao óbito. Não sabemos a procedência do alimento, nem do animal e nem como foi feita a ordenha. Além disso, o leite não passa pelo processo de pasteurização e é vendido, na maioria das vezes, em garrafa pet reutilizada sem qualquer higienização. Alertamos a população a não comprar leite vendido clandestinamente e pedimos que caso observe essa venda ilegal denuncie na Prefeitura”, diz o coordenador da Vigilância Sanitária e assessor geral da Saúde, Adriano Borges.

O processo de pasteurização  garante ao consumidor um leite seguro, isento de microrganismos que podem causar doenças no homem.  Ele consiste no tratamento térmico do leite em temperatura de 71 a 75ºC, inferior ao ponto de ebulição, durante um determinado tempo e resfriá-lo imediatamente. Para ter garantia que está adquirindo um produto de qualidade, o alimento deve possuir selo de inspeção municipal, estadual ou federal que asseguram ter controle sanitário.

PERIGOS PARA A SAÚDE

São muitas as maneiras de o leite se contaminar. A vaca não saudável, por exemplo,passa microrganismos que podem afetar a saúde do consumidor. O bacilo da tuberculose é o mais célebre, mas existe ainda a bactéria da brucelose, que provoca febre, anemia e suores noturnos.
Na ordenha, quando as tetas do animal ou a mão do ordenhador estão sujas, há o risco de o leite se infectar com coliformes fecais (que trazem diarréias) ou leveduras (que lesam a mucosa da boca, causando “sapinhos”).
Igualmente perigoso é o transporte sem refrigeração. Se ficar a temperaturas maiores do que 5º C, o produto cru pode assistir à rápida proliferação de microrganismos responsáveis por desarranjos intestinais.

Veja Também

Prefeito recebe chefe da Seab para trazer melhorias para estradas rurais

O prefeito Romualdo Batista e o secretário de Agricultura, Felipe Martiv,  receberam nesta quinta-feira o ...