ESPORTES ÚLTIMA HORA

Anvisa interrompe jogo entre Brasil e Argentina por descumprimentos de protocolos sanitários

Confusão dentro de campo. Autoridades da Polícia Federal e da Anvisa entram no gramado para paralisar a partida. Operação seria feita no vestiário, mas a Seleção Argentina trancou-se e disse que iria embora caso alguém entrasse.

Entenda o caso.

Presidente da Conmebol e dirigentes brasileiros se comunicam com Governo Federal para garantir realização da partida. Apesar de questionário preenchido incorretamente por jogadores da Argentina

Os quatro jogadores da Argentina ameaçados pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) de deportação vão para o jogo. A Conmebol e a CBF entraram em contato com Governo Federal para administrar a situação.

O protocolo de Covid-19 teve aceite de todos países que participam das competições da Conmebol – como Libertadores, Sul-Americana e, claro, Eliminatórias. Apesar da falha no preenchimento do questionário dos atletas – que não comunicaram passagem pela Inglaterra -, o caso foi contornado. O presidente da Conmebol, Alejandro Dominguez, participou das negociações para garantir o jogo.

Em posicionamento oficial, a Anvisa reiterou que os quatro jogadores vão descumprir as normas sanitárias brasileiras se jogarem.

O goleiro Emiliano Martinez, os meia Emiliano Buendia e Giovani Lo Celso e o zagueiro Cristian Romero, que atuam na Inglaterra, vão para a partida e embarcaram no ônibus.

Apesar disso, os quatro jogadores argentinos vão separados da delegação para o aeroporto assim que acabar o jogo para deixarem o país. Pelo acordo da AFA com os times ingleses, eles já teriam que retornar para o Reino Unido depois do segundo jogo. Apesar disso, o técnico Lionel Scaloni disse que eles jogariam também a terceira partida.